domingo, 14 de outubro de 2007

Intensidade - II

Não quero nada que não seja verdadeiramente meu.
Afasta de mim toda (a) hipocrisia
E corpos pela metade.
Palavras, amores, paixões...
Só hei de querer se forem verdadeiramente meus!

Egoísmo? Jamais!
Só quero um pouco de sinceridade,
De entrega,
De intensidade,
De tato...
De calor!
Um pouco? Não...
Quero muito disso!

Não me interessa onde estive,
Não me interessa onde estivemos,
Ou onde tudo esteve
Em outras vidas.
Não quero saber!
Meu presente é o presente.
E hoje, quero por inteiro.

Não se preocupe!
Deixa de mão essa censura
E permita-te.
Te quero livre,

Inteiramente aqui.

É porque quero viver mais,
É porque quero intensidade.
É porque tenho desejo,
Paixão,
E Amor.






Alfredo Goes
14.10.07
23h53

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Intensidade...

Que em tanta calma tenho sono,
Que em tanto sono tenho sonho,
Que em tanto sonho tenho afago,
Em tanto afago tenho prazer.
Que em tanto prazer tenho desejo!
Em tanto desejo tenho paixão.

Porque em tanto corpo tenho alma...
Em tanta vida tenho amor.

Se louco estou,
Não quero sanar-me!





Alfredo Goes
11.10.07 - 08h14

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Sem título!

Do mar eu nada sei.
Mas isso não me faz falta.
Parecem estar ali todos os meus sonhos,
Tudo aquilo que ousei chamar verdade.
Parece caber naquelas águas tudo o que sou,
Ou parece dizer a mesma coisa que quero:
E é muito!

Parece estar ali um mundo todo.
Mundo particular, peculiar, salgado-doce!...
Um mundo do jeito que o mundo deveria ser
É o mar aos meus olhos!

Porque ninguém sabe
Onde começa e termina.
Talvez seja tudo uma coisa só!
Sem término, meio, início,
Ou qualquer outra coisa besta afim: finda!
(De que isso realmente importa?)
O que é bom não me importa descobrir onde começa
Ou quando começa,
E nem quero saber quando termina.
Só quero estar...
Só que ter!
(E deixa ser!)


Do mar eu nada sei
Porque ninguém nada sabe!
Se alguém houvesse de saber,
Eu saberia todos esses mistérios...

Mas também não quero definir,
E nem posso definir!
Não quero passar esse tempo pensando em definir...
(Nem pensando em consequências,
Nem pensando o que outros olhos acharão).
Pra pensar assim tem hora!

Ah, mas se alguém houvesse de saber,
Eu saberia...
Porque o tempo todo
Esse som parece me dizer alguma coisa.






Alfredo Goes
8.10.07 - 23h59